Quem sou eu

Minha foto

Sou viciado em computação, Internet e Fotografia. Morei por quase 6 anos, e ainda frequento, Paraty. Sou usuário de softwares Open Source, tendo dado algumas contribuições em diversas ocasiões.

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

A curiosa moralidade do Facebook

Poucas semanas atrás fui novamente bloqueado pelo Facebook por algo que não publiquei. Era a segunda vez.

Eu era um dos administradores de uma página que publicou fotos de um trabalho fotográfico com nudez. Isto pode acontecer por conta do próprio Facebook, pois ele escolhe automaticamente a foto de artigos que são publicados nele. Note bem que existe uma grande diferença entre nudez e pornografia.

Mas o Facebook tem ojeriza à qualquer forma de nudez, especialmente feminina. Se aparecem seios, ele bloqueia. E nem olham direito, como o caso que bloquearam a foto de uma mulher em uma banheira na qual aparecem os cotovelos. Eles acharam que os cotovelos eram bicos dos seios.

Em caso de uma página administrada por várias pessoas, o bloqueio não se restringe a quem colocou a foto. Todos os administradores da página são afetados, todos são bloqueados, independente de quem postou a foto.

Mas a ojeriza do Facebook aos seios femininos não para por aí. A página do Femen, grupo de mulheres que protesta mostrando o corpo como cartaz, com os dizeres pintados nele, foi bloqueada pelo Facebook. (Acho que é um exagero o que elas fazem, a forma que protestam, e teve vez que discordei sobre o que elas protestavam, mas sem dúvida alguma, chamam atenção do mundo.) O Facebook só recolocou a página delas no ar depois de adulterar as fotos, o que no Brasil é uma violação do Direito Autoral. Note que em sites de notícias no Brasil os seios delas não são censurados, como nesta notícia aqui. Mesmo sendo ilegal sair na rua com seios à mostra no Brasil, é tolerado em situações especiais, como na Marca das Vadias, Carnaval etc. (Meio estranho, não?)

A Scout Willis, filha do Bruce Willis e da Demi Moore, fez um protesto andando nas ruas de Nova York com os seios à mostra (Sim, matéria do EGO, e talvez uma das poucas matérias úteis do EGO.). Ela falava "Legal em Nova York, mas não no Instagram" (Lembrem-se que o Instagram pertence ao Facebook.) e usou a hashtag #FreeTheNipple.

A ojeriza era tanta que fotos de mulheres amamentando eram proibidas, classificadas como "nudez e pornografia" até meados de 2014. Mas este artigo menciona algo interessante (aliás, várias), que voltaremos adiante:

"
As políticas de publicação proíbem ainda conteúdos que promovam violência e ameaças, autoflagelação, bullying e discurso de ódio, bem como spam ou "phishing" (ataques em que páginas on-line são recriadas para disseminar conteúdo malicioso).
"

O mesmo artigo menciona que o Facebook, aparentemente cometendo homofobia, classificou uma foto de duas mulheres se beijando como "nudez e pornografia". Mais detalhes podem ser visto aqui. Segundo a notícia, o Facebook atendeu aos homofóbicos contra uma foto que comemorava o Dia Internacional Contra a homofobia e Transfobia. Irônico, não?

Os moderadores do Facebook deveriam ser instruídos a não atenderem denúncias que claramente vem de preconceitos, o que inclui homofobia.

A política de publicação do Facebook não proíbe bullying? Então por que permite montagens ofensivas com pessoas, inclusive pessoas públicas, como a do mosquito com o rosto da Presidente Dilma? Por que permite os abusos que as páginas de direita fazem no Brasil (e talvez também em outros países do mundo).

Outra atitude estranha é permitir que grupos criminosos coloquem postagens. Aliás, não retiraram imediatamente um vídeo de uma mulher sendo brutalmente assassinada por um cartel de drogas, e disseram que ele que não violava as regras. Só fez a retirada do vídeo depois de muita pressão e crítica. Notícias sobre este vídeo podem ser vistas aqui e aqui. Então seios femininos não podem ser mostrados, nu artístico também não, mas mulheres sendo brutalmente assassinadas pode (ou podia)?

Voltando às ofensas. Publicar montagens ofensivas não fere direitos das pessoas? O direito à dignidade?

E ainda tem, entre muitas, uma página de ódio político, e até pessoal, contra o ex-presidente Lula que o Facebook se recusa a remover. Aliás, na minha pesquisa encontrei duas com o mesmo nome, e mais uma desejando morte aos bandidos, o que é condenável segundo os direitos humanos.

É muito curiosa esta moralidade do Facebook.

Atualização: Uma fotógrafa filmou o próprio parto, que aconteceu dentro do carro, pois não deu tempo de chegar ao hospital. Colocou no Facebook. E o que aconteceu? Vídeo deletado por nudez. E quem denunciou isto? O Facebook considera um parto algo erótico?