Quem sou eu

Minha foto

Sou viciado em computação, Internet e Fotografia. Morei por quase 6 anos, e ainda frequento, Paraty. Sou usuário de softwares Open Source, tendo dado algumas contribuições em diversas ocasiões.

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Consumismo, a nova forma de escravidão

Existem várias formas de escravidão, por sequestro e violência (como a escravatura no Brasil), derrota em guerras (comuns no Império Romano etc), dívidas (praticado por muitos fazendeiros no Brasil, mantendo o trabalhador com alguma dívida para forçá-lo a trabalhar para ele), religiosa etc, e algumas delas tem relação entre si. Mas agora se tornou moda uma nova forma, que atinge boa parte das classes sociais, especialmente as intermediárias. A escravidão pelo consumismo.

A escravidão pelo consumismo é sutil, é perversa. Os capatazes são os próprios escravos, e os mestres, os algozes, não tem face. Eles não são realmente vistos pelos escravos, e um escravo tem muitos mestres em um sistema de escravidão compartilhada e disputada. Talvez seja a mais sutil de todas as formas de escravidão, pois os escravos não se veem como escravos.