Quem sou eu

Minha foto

Sou viciado em computação, Internet e Fotografia. Morei por quase 6 anos, e ainda frequento, Paraty. Sou usuário de softwares Open Source, tendo dado algumas contribuições em diversas ocasiões.

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Irracionalismo, fascismo e redes sociais

Acho que a culpa da ascensão do irracionalismo e do fascismo é das redes sociais.

Quando tudo era misturado, e alguém dizia um absurdo, os outros chamavam atenção. Era difícil montar grupinhos que pensassem absurdos iguais.

Mas os algoritmos das redes sociais criaram bolhas.

Para manter as pessoas felizes na rede social foi decidido não contrariá-las, apresentar os iguais e esconder os diferentes. Então os fascistas passaram a se conhecer. E achar que muitos pensam como eles. Deste modo é mais fácil para eles acharem que são donos da verdade. Perdeu-se cada vez mais a noção de diversidade.

Fora que redes sociais enviam mensagens de consumo fácil, especialmente as imagens, e os memes.

Um sinal disto é o desincentivo a ler e pensar (para manter o consumo fácil). O consumo tem que ser rápido, então ninguém pode escrever muito, ninguém pode ler muito. Não pode ter esforço . Assim reduziram o tamanho dos espaços para comentários.

Ainda, para manter as pessoas felizes, e não contrariá-las, abusos não são punidos. Para alguém ser punido no Facebook tem que mostrar um seio feminino, ou fazer uma sequência longa e grande de abusos.

E para ganhar dinheiro, o Facebook ainda implantou a possibilidade das suas ideias serem propagadas, as suas postagens serem mais propagadas, bastando pagar para isto. Isto quebra a democracia de ideias, pois quem tem dinheiro pode espalhar mais suas  ideias em detrimento dos outros. Isto é antidemocrático.

De certa forma, a gana de ser a maior rede social do mundo, e ganhar dinheiro, resultou nisto tudo, uma rede social socialmente doente ajudando a adoecer mais ainda a sociedade.