Quem sou eu

Minha foto

Sou viciado em computação, Internet e Fotografia. Morei por quase 6 anos, e ainda frequento, Paraty. Sou usuário de softwares Open Source, tendo dado algumas contribuições em diversas ocasiões.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Farofa, a comida mais IDIC que eu conheço

IDIC é a base da filosofia Vulcana dos seriados Star Trek, e significa Infinite Diversity in Infinite Combinations, que se traduz como Infinitas Diversidades em Infinitas Combinações.

A farofa é uma destas comidas com uma quantidade absurda de possibilidades, e uma quantidade mais absurda ainda de combinações entre elas. Ela pode ser feita com manteiga, margarina (tal como eu faço), com óleo (já ouvi falar), com azeite de dendê etc, formando assim uma farofa simples. Ainda pode levar alho (adoro), ou cebola (adoro), couve (já vi, mas não comi), passas (adoro), bacon (detesto), ovo (detesto), linguiça (detesto), banana (adoro), cenoura ralada (comi uma ou duas vezes e gostei), abacaxi (comi uma vez e gostei), maçã (ouvi falar e acho que deve ficar boa), pera (também ouvi falar) etc. E ainda existem combinações entre elas: banana e passas feita com margarina (adoro); banana, passas e cebola feita com margarina (adoro); ovo e bacon; etc.

Depois de falar de tantas possibilidades eu me pergunto:

Por que 95% dos restaurantes só fazem farofa de bacon, e 4.8%, achando que estão fazendo uma grande variação, fazem de linguiça?

PS: Podem aumentar a lista de farofas nos comentários.

2 comentários:

  1. Também existem variações em torno do tipo de farinha: a farofa pode ser feita com farinha de mandioca ou de milho. Prefiro essa última.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conhecia farofa de farinha de milho.

      Isto colocou mais uma diversidade, e aumentou ainda mais as combinações.

      Excluir