Quem sou eu

Minha foto

Sou viciado em computação, Internet e Fotografia. Morei por quase 6 anos, e ainda frequento, Paraty. Sou usuário de softwares Open Source, tendo dado algumas contribuições em diversas ocasiões.

terça-feira, 22 de julho de 2014

Carta da Fundação Gates

Bill Gates é uma figura muito polêmica, e isto é difícil de negar. Mas de forma meio atrapalhada, com mancadas (algumas bem óbvias), e até de forma arrogante e desonesta em muitas ocasiões, ele ajudou difundir a microcomputação.

Alguns anos atrás ele começou a fazer caridade, e depois se afastou da Microsoft, o que parece fazer cada vez mais, se dedicando mais à caridade. No início a caridade dele me pareceu demagogia, mas ele levou à sério, pelo que parece. Mas não é uma caridade vazia, como alguns fazem, e sim, com real conhecimento de causa, e visando melhorar as pessoas e suas condições de vida agora, e as condições de vida das gerações futuras. Talvez principalmente para as gerações futuras.

Talvez isto também tenha transformado ele em uma pessoa melhor.

Um amigo meu me indicou este excelente texto de Bill Gates da esposa dele, Melinda Gates, falando sobre como caridade bem direcionada, com planejamento e real intenção em melhorar a condição humana pode funcionar, desenvolvendo as pessoas e até países. Ele também argumenta contra mitos comuns, especialmente os que pessoas que são contra todos os tipos de apoios humanitários (acho que aqui pode-se incluir quem é contra o bolsa família) acreditam.

É um texto bem otimista e esclarecedor, e bate com outras fontes, inclusive com o que já li sobre o Bolsa Família.

Sugiro que leiam com calma, pois é longo, mas vale ser lido.

http://annualletter.gatesfoundation.org/pt

Nota: Este texto é a carta anual de 2014 (Escrevo esta nota em 22/07/2014.), e não sei se no futuro este link vai apontar para uma outra carta anual, outro texto, ou se é que vai funcionar.

2 comentários:

  1. Sobre a caridade de Gates:
    https://www.youtube.com/watch?v=-Q0mfpvrFf4

    ResponderExcluir
  2. Adam Smith defendia o Liberalismo Mercantil de um lado e os males provocados por ele tratados pela "caridade cristã"

    A mão em afago na cabeça do pobre e um porrete na mão escondida atrás da porta.

    Sou contra o bolsa família em outros termos, distante da crítica pela direita.

    O bolsa serve tão somente para o burguês, após explorar o proletário, mostrar-se caridoso e bondoso e afastar rebelião.

    O Capital deveria estar feliz com o governo PT, pois o que fez foi afastar rebeliões de maneira mais eficiente do que a era PSDB.

    ResponderExcluir