Quem sou eu

Minha foto

Sou viciado em computação, Internet e Fotografia. Morei por quase 6 anos, e ainda frequento, Paraty. Sou usuário de softwares Open Source, tendo dado algumas contribuições em diversas ocasiões.

sábado, 30 de novembro de 2013

O Acidente do Itaquerão

Um dos assuntos da semana foi o acidente na obra do estádio Itaquerão, no qual duas pessoas morreram. Isto pode ser visto aqui. Ainda tem muita informação desencontrada, noticiada de modo confuso, mas aparentemente os dois mortos são pessoas que não faziam parte da operação de içamento.

Acho que em uma operação grande, que tem riscos, especialmente riscos de grandes estragos quando acontece o acidente, tem que ter somente o pessoal envolvido por perto. Nas noticias que vi, tive a impressão que os dois mortos não precisavam estar onde estavam (Em uma das versões o motorista do caminhão estava descansando na cabine do caminhão.), então, ao meu ver, houve uma falha de segurança.

Os riscos existem, e não é a primeira vez que acontece um acidente com o içamento de uma cobertura de estádio. Se procurar no Youtube por "big blue crane accident" verá um acidente bem mais grave, que matou 3 operários envolvidos no içamento, e deixou pelo menos um ferido. Este acidente foi bem mais grave, causando grandes estragos no estádio, atrasando em um ano a entrega dele.

Eu assisti um acidente na montagem de uma tenda para o Festival de Dança de Paraty em 2009. Eu fotografei. Estavam levantando o primeiro arco, quando passou do ponto e ele caiu. O içamento, neste caso, foi improvisado, com um caminhão puxando o arco.

A operação de içamento, usando um caminhão para puxar.

Passou do ponto, e as estacas que limitariam o movimento, que segurariam o arco em pé, foram arrancadas.

Os operários avaliando os estragos.

Uma das estacas arrancadas.

Ninguém se feriu (Meus ouvidos doeram com o barulho do metal batendo contra o metal.) graças a um detalhe: Todos estava a uma distância segura. Todos se afastaram no momento do içamento. Se algo desse errado, o que neste caso aconteceu, ninguém iria se ferir, pois estavam a uma distância segura.

Minutos depois vi um dos responsáveis locais ligando para o escritório informando o acidente. Me lembro muito bem uma frase que ele falou, aparentemente respondendo a uma pergunta "Não, ninguém se feriu." (Ele não soube que o meu ouvido doeu.), e relatou que tinham peças danificadas.

Nos anos seguintes, nas vezes que acompanhei, usaram um procedimento muito diferente. Eles montavam todos os arcos no chão, sem levantar. Alugavam por um dia um munck de grande porte, que içava tudo de modo simples, rápido, de forma segura, em apenas algumas horas, e depois continuavam colocando a cobertura etc. No desmonte alugavam de novo por um dia para descer todas as peças.

A operação de montagem da tenda para o festival de dança de 2011. Aqui o içamento já tinha terminado e eles prendiam as peças umas nas outras.

O curioso é que ouvi o encarregado local falando pelo telefone com o escritório elogiando o equipamento, e parecia que o escritório não tinha ideia do tamanho dele.

Mas voltando ao assunto, se alguém não faz parte de uma operação, ela não deve estar perto. Se existe riscos, especialmente de grandes estragos, por menor que sejam estes riscos, mais ainda o isolamento da área tem que ser respeitado.

Faz parte dos procedimentos de segurança tomar todas as providências para que um acidente não ocorra, tal como tomar todas as providências para que, caso ocorra o acidente, este causa o mínimo de danos possíveis, especialmente ferimentos e mortes de pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário