Quem sou eu

Minha foto

Sou viciado em computação, Internet e Fotografia. Morei por quase 6 anos, e ainda frequento, Paraty. Sou usuário de softwares Open Source, tendo dado algumas contribuições em diversas ocasiões.

domingo, 1 de março de 2015

História da Astrologia e como nasceu dela a Astronomia

A Astronomia nasceu de duas vertentes. Uma parte da Astrologia, e uma parte da Física. E como nasceu a Astrologia?

No início da humanidade os humanos perceberam que a natureza tinha ciclos (Aliás, até muitas outras espécies de animais tem esta percepção, mas muitos de forma não consciente.), inclusive as estações do ano. As estações do ano, em uma boa parte do planeta, são bem marcadas, afetando toda a natureza local. Algumas constelações, e estrelas aparecem em certas épocas do ano, e não em outras. Inclusive algumas chuvas de meteoros são cíclicas.

Se no tempo em que a humanidade era composta de catadores/coletadores saber, e prever, as estações do ano era importante - para se preparar para elas, para saber onde animais estariam etc (Sim, existe uma grande quantidade de animais migratórios, entre eles aves, e até insetos.) - imagine quando a humanidade deixou de ser nômade e passou a fazer agricultura, construir cidades etc. Aí nasceu a necessidade de calendários mais precisos ainda. Precisávamos saber quando choveria, quando daria para plantar, quando deveríamos colher etc. E de onde tiramos esta referência para os calendários? Dos céus.

Os céus, suas estrelas, constelações etc, eram bem marcados, bem cíclicos, pareciam imutáveis. Aí nasceu o conceito errado de que o céu é eterno, imutável. Mas o céu muda, está sempre mudando. O universo está sempre mudando, só que no tempo de vida de algumas pessoas, sem equipamentos de alta precisão atuais, não dá para perceber. Os céus eram o grande relógio, o grande regente. Foram criados calendários que as pessoas pudessem acompanhar. Algumas pessoas passaram a estudar os céus, saber onde os astros estariam, quando os astros ditariam que deve começar o cultivo, a colheita etc. Assim nasceram os primeiros astrólogos. Quase toda grande civilização teve os seus astrólogos, ou pelo menos, seus estudiosos dos céus. Religiões também nasceram baseadas nos céus. Imagine o poder que estes estudiosos dos céus ganharam.

E se os céus ditarem mais do que as épocas de plantio e colheita? Mais do que as épocas de chuvas? E se ditam outras coisas, regem coisas do nosso dia a dia? E assim tentaram ligar as coisas, tentaram fazer outras previsões. A incerteza é torturante, e por isto o ser humano busca formas de ter certezas, e por vezes com uma necessidade tão desesperada que não verifica se as certezas às quais se agarrou são verdadeiras e certas. Religiões tentam dar estas certezas. O estudo dos astros, a Astrologia, também tenta isto.

Pessoas que entendiam os astros eram poderosas, pois ditaram ciclos de uma sociedade. Muitos eram contratados pelo estado, pelos reis.

E se estudo dos astros, que fazia previsões corretas para coisas importantes, puder prever mais coisas? Então começaram a tentar, e a errar. Escondiam os erros, manipulavam os resultados, e acertavam de vez em quando. Assim os astrólogos se tornaram mais importantes, e as pessoas acreditavam neles.

Agora imagine se um astrólogo dissesse que o rei está prestes a cair, que leu isto nos astros, ou se ele dissesse que os astros dizem que vão ganhar uma guerra. Está nos astros, e os astros não mentem, eles são eternos e imutáveis etc. Os astros regem nossa vida, então tem razão, e lá vão lutar uma guerra com a certeza da vitória, ou todos passam a não confiar no rei e ele cai, derrubam ele. Se o astrólogo dissesse que uma pessoa está destinada a ser o rei, então outros apoiariam esta pessoa, pois está escrito nos astros. Quem iria contra o que já está escrito, contra um destino irrefutável?

Sim, a crença e a descrença são poderosas, e podem ser manipulativas. A Astrologia se tornou uma ferramenta para isto. Em algumas civilizações os astrólogos eram contratados do rei, e as previsões tinham que passar por ele primeiro. Assim só o que fosse interessante ao rei era divulgado (Nada mais de previsões de que ele vai cair iriam circular, e nem seriam previstas.). Era proibido às outras pessoas lerem os astros.

Mas os céus também conspiravam contra os que diziam que o universo era perfeito e imutável. Vinham os cometas para estragar tudo. E, em uma vez que apareceu um cometa, todos os astrólogos reais de uma civilização foram executados por não terem previsto ele. Era algo tão extraordinário que não sabiam prever, não sabiam o que eram, e então assumiram que era sinal de uma grande desgraça (Foi para alguns astrólogos.). Quando viam um cometa já procuravam a desgraça, e já se desesperavam.

Apesar das previsões de estações do ano, e calendário, estarem basicamente certas, todo o modelo de universo deles estava errado. Eles viam do nosso ponto de vista, pelo geocentrismo, e não o que realmente era. Até Copérnico fazer uma heresia, nos tirar do centro do universo e colocar o sol. Apesar dele ser um astrólogo, ele pode ser considerado o primeiro astrônomo, pois este pode ser considerado o primeiro grande passo em direção à Astronomia.

Então veio Kepler, outro astrólogo e matemático. Ele tentava entender como as coisas funcionavam. Os modelos que ele tentou seguir foram desastrosos. Não funcionavam. Ele era um grande matemático, e começou a aplicar pesadamente a matemática na Astrologia. Então tomou uma decisão corajosa, assumindo que devia ter algo muito errado. Aí entra Tycho Brahe, um observador, o maior astrônomo observador de sua época (Uma época que a Astronomia não tinha se estabelecido ainda, e talvez nem existisse oficialmente.). Ele tentou misturar as teorias heliocêntrica com geocêntrica, mas não tinha conhecimento matemático suficiente para ter um modelo que funcionasse.  Ele precisava de Kepler, mas este só conseguiu mesmo acesso aos dados de Tycho Brahe após a sua morte.

Kepler trabalhou por anos com os dados (Imagine a quantidade de contas a serem feitas à mão sem ter os computadores, e muito menos as calculadoras, que temos hoje em dia.) e começou a entender realmente como era o sistema solar (o universo da época). Ele conseguiu definir as órbitas com boa precisão, conseguiu explicar o movimento retrógrado de Marte, percebeu que as órbitas eram elípticas, e não circulares, e muio mais. O modelo heliocêntrico se prova ser o certo. Kepler ainda define as 3 leis de Kepler. Ele sabia que era assim, mas não sabia explicar por que era assim. Assim evolui a Astronomia, ela se separa da Astrologia, e é regida por regras matemáticas para explicar e calcular as coisas que acontecem com os astros, e não coisas mundanas que acontecem aqui na terra.

Corria em paralelo, em um ambiente muito mais hostil, o trabalho de Galileu. Ele criou o telescópio e o usou para fazer muitas descobertas, como os anéis e luas de Saturno, Mostrou que o universo (atualmente nosso sistema solar) tem muitas sutilezas que na época eram desconhecidas, provou que Copérnico estava certo usando as fases de Vênus tal como era visto da Terra. Falou sobre inércia, criando uma teoria de relatividade, mesmo sem formalizar isto (Newton faria isto adiante.).

Depois dele veio a consolidação final, a teoria da gravitação de Newton. Ela explicou o que nem o Kepler não conseguiu explicar, provando que Kepler tinha razão nas suas leis (Mesmo estando errada em sua explicação para uma delas.). Acho que neste momento a Astronomia passa estar definitivamente ligada à Física, e ser uma Ciência consolidada, com suas regras de funcionamento seguindo o Método Científico etc.

O trabalho de Newton ainda fez outra coisa muito importante. Antes se acreditava que existiam um conjunto de leis que regiam os astros e um conjunto que regia a nossa vida aqui. Newton fez a primeira grande unificação, mostrando que as leis que regem a órbita dos planetas são as mesmas que fazem com que a maçã (Que clichê...) caia aqui na Terra.

Tanto Galileu como Newton eram físicos, e não astrólogos. E ainda mais, o Galileu foi o pai do Método Científico, o que a Astronomia (e muitas outras ciências) herdou, e a Astrologia não (um dos motivos pelo qual a astrologia não é Ciência). Kepler mesmo abandonou o que acreditava antes, por que não funcionava, e buscou dados para realmente entender o que acontecia, o que se pode dizer que faz parte do Método Científico.

Então veio Halley, amigo de Newton, fazer uma coisa que achavam que a Ciência não era capaz de fazer. Previsões. Previsões eram coisas para superstições, mas ele aplicou Matemática, o método de Newtow de cálculo de órbitas, e previu quando um cometa iria retornar. Foi uma previsão usando a Matemática, a Ciência, calculando a órbita dele, e atualmente este cometa recebe o seu nome.

E a Astrologia? Virou crendice, pseudociência. No momento em que o que ela tinha mais certo se separa dela e evolui, não lhe resta muita coisa.

Atualmente o calendário é ditado pela Astronomia, e, por exemplo, a hora oficial do Brasil é ditada pelos relógios atômicos que ficam no Observatório Nacional, no Rio de Janeiro. Até festas, como o Carnaval e a Páscoa, tem suas datas baseadas em informações vindas da Astronomia.

Um comentário:

  1. Tem este artigo abaixo muito bom sobre como um astrólogo, e muitos que ele conheceu, perceberam que a astrologia é uma farsa, e como ela é tão atraente e enganadora.

    https://bogardiner.wordpress.com/2015/03/08/a-professional-astrologist-realizes-astrology-isnt-real/

    ResponderExcluir